abp

Google e Outros Pagam Ao Adblock Para Exibir Os Seus Anúncios

Já todos sabemos que existem muitos serviços e empresas a lucrar à custa da publicidade e dos anúncios exibidos nas páginas de Internet por diversos serviços, sendo o maior destes o Google AdSense. Por o utilizador não ter interesse neste tipo de publicidade “chata” foram criados diversos add-ons ou plugins para os browsers para evitar que estes anúncios sejam [...]

google-chrome-flatten-logoJá todos sabemos que existem muitos serviços e empresas a lucrar à custa da publicidade e dos anúncios exibidos nas páginas de Internet por diversos serviços, sendo o maior destes o Google AdSense. Por o utilizador não ter interesse neste tipo de publicidade “chata” foram criados diversos add-ons ou plugins para os browsers para evitar que estes anúncios sejam carregados com a página de conteúdo que queremos ver, resultando num site com “menos lixo” e mais agradável, além de poupança nos tarifários (que hoje apenas importam aos dispositivos móveis) e até uma poupança do processamento do computador, principalmente quando estes se encontravam em flash.

Surgem agora noticias na internet que a Google e outras empresas que lucram com o mesmo mercado estão a pagar aos produtores do add-on mais conhecido para os vários browser’s e sistemas operativos – adblock - , valores simbólicos para que estes não bloqueiem os anúncios aos seus utilizadores, gerando assim mais lucros à própria Google e e seus parceiros de ad’s.

Segundo a mesma a Google tornou-se uma das investidoras do adblock, criando assim um conjunto de excepções whitelist onde são permitidos várias origens de ad’s. A existência deste tipo de lista faz parte da própria politica de utilização do programa.

Para o software este tipo de pagamentos serve para aumentar a fiabilidade do serviço e mantê-lo online, num serviço que é gratuito. Enquanto que para empresas como a google permite aumentar a fiabilidade do seu serviço de anúncios perante outras empresas com menos fundos.

Isto foi originado após vários utilizadores verificarem o aumento da existência de anúncios publicitários nos últimos tempos levando a cabo esta pequena “investigação”.

Apesar de tal estar bem explicito pelo próprio programa não deixa de ser mau para a fiabilidade que os seus utilizadores – mesmo os pagos – lhe atribuíam antes da noticia. Após a mesma já se começam a procurar soluções menos reconhecidas mas confiáveis, pelo que nos próximos tempos vamos começar a ouvir valar de novos métodos que permitam o desaparecimento deste tipo de conteúdos. Contudo o próprio adblock deverá manter-se como uma solução sólida, uma vez que através do seu próprio painel de configuração é possível desligar este tipo de whitelist, o que deverá resultar num funcionamento “normal” deste filtro.