ProjectGlass

Glass Também Irá Correr Ubuntu

Uma das novidades do Segundo dia da Google I/O - Apenas o dia de Keynote é dedicado a novidades e novos serviços os restantes serão conferencia “normais” entre programadores – foi a capacidade de Root oficial do Google Glass, que já era conhecida, e a capacidade deste executar um outro Sistema Operativo além do Android – qual [...]

Uma das novidades do Segundo dia da Google I/O - Apenas o dia de Keynote é dedicado a novidades e novos serviços os restantes serão conferencia “normais” entre programadores – foi a capacidade de Root oficial do Google Glass, que já era conhecida, e a capacidade deste executar um outro Sistema Operativo além do Android – qual mais senão a distribuição Linux mais conhecida, Ubuntu.

Numa altura em que a grande discussão sobre o Glass esta mais virada para as questões de privacidade mais propriamente do que as suas próprias funcionalidades ou capacidades em Hardware (já divulgado) surgem estas novidades que permitem dar “um cheirinho” daquilo que poderá vir em 2014. Falando do que interessa os developers tem-se queixado de como funcionam as suas aplicações no Glass, que utilizam mais a própria Web do que o Hardware. A Google na sua conferencia “Void you Warranty” ["Estrague a sua Garantia"] ajudou os developers presentes a explorarem algumas coisas “extra-glass”.

glass_ubuntu

Nesta Imagem retirada de um Portátil é possível ver um Terminal (a “consola” do Linux) do Ubuntu, e a imagem que está a ser transmitida pelo Glass em baixo.

Para ter o Ubuntu a correr no seu dispositivo o utilizador necessita de:

  1. Descarregar alguns APK’s (instaladores na plataforma Android) para o dispositivo : O launcher, Setting e Notepad;
  2. Ligar o dispositivo a uma plataforma de digitalização – como o teclado/rato – via bluetooth;
  3. Flashar uma nova imagem Android, para que possam proceder ao Unlock do dispositivo;
  4. Instalar mais dois APK’s pela Playstore do Google: Android Terminal Emulator e LinuxOnAndroid. É através do segundo que será possível escolher a instalação do Ubuntu (ou outras versões Linux que podem não ser compatíveis).

Claro que como o nome da conferência indica este processo estraga a garantia e retira as capacidades para a qual o Glass foi construído - pelo menos sem Software externo – pelo que o interesse em instalar o Ubuntu será apenas para efeitos recreativos e não utilitários. Mas como até ao momento a grande maioria dos utilizadores do Google Glass são programadores, este novo método de exploração apenas irá trazer algumas ideias adicionais para as suas aplicações e quem sabe uma porta aberta para outras descobertas relacionadas com o Kernel do gadget do momento, Google Glass. Responsáveis do Google adicionaram ainda que estão a preparar novas ferramentas nativas para o Glass, que possam trazer uma interacção mais direta com o Hardware.